Toda visão da crença se acompanha,
Toda crença da acção; e a acção se perde,
      Água em água entre tudo.
Conhece-te, se podes. Se não podes
Conhece que não podes. Saber sabe.
      Sê teu. Não dês nem speres.
19 - 10 - 1927

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar