Vejo na vasta cena do futuro
Do trgico Destino a face acesa,
E de espectros cobrir a redondeza
O nebuloso cu, o plo escuro.

Rasgar-me o peito e corao figuro
Da torpe Inveja, a brbara fereza.
Da fome crua, esqulida pobreza
Em vo fugir desejo, em vo procuro.

Nada vale constncia e sofrimento;
Monstros feros, Cerastes assanhando,
Pacincia e valor pem o tormento.

O que mais , que a vida prolongando,
Se ceva e nutre o meu entendimento
Do espectculo feio e miserando.

Correia Garção
VEJO NA VASTA CENA DO FUTURO
Voltar