Vive em cada minuto
a tua eternidade
— sem luto
nem saudade.

Vive-a pleno e forte
num frenesim
de arremesso.

Para que a tua morte
seja sempre um fim
e nunca um começo.

 


In Sonâmbulo
José Gomes Ferreira
« Voltar