Sur l’eau bleue et blonde 
Et cieux et forêts 
Et rose de l’onde 
P. Valéry 

 
«Quando me dizes “Vem!”, já eu parti 
e já estou tão próximo de ti 
que sou eu quem me chama e quem te chama 
e é o meu amor que em ti me ama. 

Se me olhas sou eu que me contemplo 
longamente através do teu olhar 
e moro em ti e sou eu o lugar 
e demoro-me em ti e sou o tempo. 

Eu sou talvez aquilo que me falta 
(a alma se sou corpo, o corpo se sou alma) 
em ti, e afogo-me na tua vida 
como na minha imagem desmedida: 

Sol, Lua, água, ouro, 
horizontalidade, concordância, 
indiferente ordem da infância, 
união conjugal, morte, repouso.» 


In POESIA REUNIDA , Assírio & Alvim, 2001
Manuel António Pina
« Voltar