Há nas danças populares
Um vestígio de razão;
Quando andam à roda os pares,
Anda à roda a sensação.

Contemplo, e sou todos eles.
Danço com o entendimento.
Tenho-lhes almas e peles,
E, amoroso e desatento,

Fixo em versos o que giram
No corpo e alma que são.
Que importa que me não viram?
Não viram o coração…

17 - 3 - 1931

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar