Assim eu queria o poema:
fremente de luz, áspero de terra,
rumoroso de águas e de vento.

In Ostinato Rigore
Eugénio de Andrade
OS FRUTOS
« Voltar