Pois que, Senhora, folgais
que minha alma vos no veja,
peo-vos que me digais
a razo que vs achais
em no querer que vosso seja.

Bem que a razo vejo clara
que algum vos enganou,
porque eu certo julgava
que o fio no quebrara
pelo lugar que cobrou.

Mas pois foi a vosso grado
e disso tomais prazer,
eu estou aparelhado
a cumprir vosso mandado:
j mais nunca vos ver.

E por ser obediente,
com o que tenho me componho;
digo que sou mui contente,
...............................
seja passada por sonho.

E se, Senhora, cuidais
que disto paixo me vem,
certo que vos enganais:
nisso ganho eu mais
dez mil vezes que ningum.

 

Luís Vaz de Camões
[POIS QUE SENHORA FOLGAIS]
Voltar