Meu sacana de versos! Meu vadio.
Fazes falta ao Rossio. Falta ao Nicola. 
Lisboa é uma sargeta. Éum vazio. -
E é raro o poeta que entre nós faz escola. -

Mastigam ruminando o desafio.
São uns merdosos que nos pedem esmola. 
Aos vinte anos cheiram a bafio
têm joanetes culturais na tola.

Que diria Camões nosso padrinho
ou o Primo Fernando que acarinho
como Pessoa viva à cabeceira?

O que me vale é que não estou sozinho
ainda se encontram alguns pés de linho
crescendo não sei como na estrumeira!


In Obra Poética
Ary dos Santos
« Voltar