Tudo tem a ver com lágrimas
Tem tudo a ver com morte


Os rios desde sempre
Desapareceram no mar —
Renovo
Sem lamento


Mas na mais pequena
Perda entre os humanos
É sempre o angustiado
Derradeiro olhar
Lançado sobre a luz
Que se apaga
Para nunca mais


Tudo tem a ver com lágrimas
Tem tudo a ver com a morte.

 


Londres, 30 de Junho 91

In Átrio
Alberto de Lacerda
« Voltar