O que sentimos, não o que é sentido,
É o que temos. Claro, o inverno estreita. 
       Como à sorte o acolhamos.
Haja inverno na terra, não na mente.
E, amor a amor, ou livro a livro, amemos 
       Nossa lareira breve.
8 - 7 - 1930

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar