Basta às vezes
Uma voz harmoniosa,
Um sorriso casual que dá agrado
Para aliviar
Muito e tanta
Tortura ou confusão da mente.

Não me fales por enquanto.
Baixa os olhos.
Baixa-os lentos sem deixares
De me ver

Tudo merece atenção,
Até o amor,
Se não for demasiado.

Hoje quero só esquecer.

 


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar