Sobre os rios do Reino escuro, quando
tristes, quais nossas culpas o ordenaram,
lgrimas nossos olhos derramaram
por ti, Sio divina, suspirando;

os que iam nossas almas infestando
de contino em error, as cativaram,
e em vo por nossos salmos perguntaram,
que tudo era silncio miserando.

Dizendo estamos: «Como cantaremos
as aceitas canes a Deus benino,
quando a contrrios seus obedecemos?»

Mas j, Senhor s Santo, determino,
deixando viciosssimos extremos,
os cantos prosseguir de amor divino.

Luís Vaz de Camões
[SOBRE OS RIOS DO REINO ESCURO QUANDO]
Voltar