Por deus, amigo, quem cuidaria
que vós nunca ouvéssedes poder
de tan longo tempo sem mi viver!
E dês oimais, par Santa Maria,
           nunca molher deve, bem vos digo,
           muit’a creer per juras d’amigo


Dissestes-mi, u vos de min quitastes:
«Log’aqui serei con vosco, senhor»,
e juraste-mi pólo meu amor,
e dês oimais, pois vos perjurastes,
           nunca molher deve, bem vos digo,
           muit’a creer per juras d’amigo.


Jurastes-m’ enton muit’aficado
que logo logo, sem outro tardar,
vos queríades pêra mi tornar,
e dês oimais, ai meu perjurado,
           nunca molher deve, bem vos digo,
           muit’a creer per juras d’amigo.


E assim farei eu, bem vos digo,
por quanto vós passastes comigo.

 

Dom Dinis
« Voltar