Uma após uma as ondas apressadas
Enrolam o seu verde movimento
      E chiam a alva spuma
      No moreno das praias.
 
Uma após uma as nuvens vagarosas
Rasgam o seu redondo movimento
      E o sol aquece o spaço
      Do ar entre as nuvens scassas.

Indiferente a mim e eu a ela,
A natureza deste dia calmo
      Furta pouco ao meu senso
      De se esvair o tempo.

Só uma vaga pena inconsequente
Pára um momento ‘a porta da minha alma
      E após fitar-me um pouco
      Passa, a sorrir de nada.

23 - 11 - 1918

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
[[UMA APÓS UMA AS ONDAS APRESSADAS]]
« Voltar