H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que se veja mesa o meu lugar vazio

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que ho-de me lembrar de modo menos ntido

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que s uma voz me evoque a ss consigo

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que no viva j ningum meu conhecido

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que nem vivo esteja um verso deste livro

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que terei de novo o Nada a ss comigo

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que nem o Natal ter qualquer sentido

H-de vir um Natal e ser o primeiro
em que o Nada retome a cor do Infinito


In Cancioneiro de Natal
David Mourão-Ferreira
LADAINHA DOS PóSTUMOS NATAIS
Voltar