Claros olhos azuis, olhos fermosos,
que o lume destes meus escurecestes;
Olhos que o mesmo Amor de amor vencestes
cos vivos raios sempre vitoriosos;

olhos serenos, olhos venturosos,
que ser luz de tal gesto merecestes,
ditosos em render quanto rendestes,
e em nunca ser rendidos mais ditosos;

que mour'eu por vos ver, e que vos traga
nas meninas dos meus perpetuamente
cousa que justamente Amor ordena.

Mas, que de vs no tenha mais que a pena
com que Amor tanta f to mal me paga,
nem o diz a razo, nem o consente.

 

Luís Vaz de Camões
[CLAROS OLHOS AZUIS OLHOS FERMOSOS]
Voltar