Ah, pouco a pouco, entre as árvores antigas,
A figura dela emerge, e eu deixo de pensar…

Pouco a pouco da angústia de mim vou eu mesmo emergindo…

As duas figuras encontram-se na clareira ao pé do lago…

…As duas figuras sonhadas,
Porque isto foi só um raio de luar e uma tristeza minha,
E uma suposição de outra coisa,
E o resultado de existir…

Verdadeiramente, ter-se-iam encontrado as duas figuras
Na clareira ao pé do lago?
   (… Mas se não existem?...)

…Na clareira ao pé do lago……………


[17/9/1929]

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Teresa Rita Lopes, 2002
Álvaro de Campos
« Voltar