Depois de te ver fabrico a paisagem 
Para o poema que te dedico. 

A paisagem é o mar, o rio, a torre, 
Postos nos lugares certos por acaso. 
O rio faz o leito entre os teus olhos... 
O monte, a caravela, o que tu és, 
Colaboram na alquimia da invenção. 

Com uma pedra de isqueiro, vivo a noite... 
Troco o luar por um trapézio verde. 

Construída a paisagem que te apoia, 
Coloco-te sobre ela... 
Falo de ti pondo-me a teu lado. 


In O PÊNDULO AFECTIVO - ANTOLOGIA POÉTICA:1950-1990 , Edições Afrontamento, 1991
Egito Gonçalves
MAQUINISMO
« Voltar