Era isso mesmo —
O que tu dizias,
E já nem falo
Do que tu fazias…

Era isso mesmo…
Eras outra já
Eras má deveras
A quem chamei má.

Eu não era o mesmo
Para ti, bem sei.
Eu não mudaria,
Não — nem mudarei…

Julgas que outro é outro.
Não: somos iguais.

6 - 10 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar