Tinha ao colo o gato velho 
cansadamente passando 
a sua branca mão pelo 
pêlo dele preto e brando 

Sentada ao pé da janela 
olhando a rua ou sonhando-a 
todo o passado passando 
a passos lentos por ela 

Dormiam ambos enquanto 
a tarde se ia acabando 
o gato dormindo por fora 
a avó dormindo por dentro 


In TODAS AS PALAVRAS. POESIA REUNIDA , Assírio & Alvim, 2012
Manuel António Pina
« Voltar