MOTE

Por uns olhos que fugiram
o lume dos meus perdi;
porque nem eles me viram,
nem eu tambm mais os vi.

VOLTA

No lhes pude defender
que tais olhos no seguissem;
riram-se muito de ver
outros olhos que tal vissem.
Eu no sei o que sentiram,
mas sei que tal dor senti
quando vi que no viram
que nunca mais prazer vi.

Com sua luz me cegaram,
como o sol tem por costume;
fiquei com olhos sem lume,
para chorar me ficaram.
Assi, desde que no viram
aqueles que acaso vi,
sempre disso me servi:
nunca mais com eles vi.

 

Luís Vaz de Camões
[POR UNS OLHOS QUE FUGIRAM]
Voltar