Mal que de tempo em tempo vs crecendo,
quem te visse de um bem acompanhado
a vida passaria descansado;
da morte no temera o rosto horrendo.

Se os vos cuidados fora convertendo
em suspiros que do outro cuidado,
oh, quo prudente! Oh, quo afortunado
a capela de louro ir tecendo!

Tempo j de esquecer contentamentos
passados, co a esperana que passou,
e de que triunfem novos pensamentos.

A f, que viva na alma me ficou,
d j fim aos caducos ardimentos
a que o passado bem se condenou.

Luís Vaz de Camões
[MAL QUE DE TEMPO EM TEMPO VÁS CRECENDO]
Voltar