Pois torna por seu rei, e juntamente
por Cristo, a governar aquela parte
onde se tem mostrado um Numa, um Marte,
o famoso Lus, justo e valente.

O Tejo espere ver de todo o Oriente,
onde se to raros des o Cu reparte,
render a tanto esforo, aviso e arte
mil palmas, mil tributos novamente.

Os que bebem no Gange, os que no Indo,
a quem pouco valero lana e escudo,
o render-se tero por bom partido.

O Eufrates temer, seu nome ouvindo;
que, para dele ver vencido tudo,
j viu do brao seu tudo vencido.
 

Luís Vaz de Camões
[POIS TORNA POR SEU REI E JUNTAMENTE]
Voltar