Quantos gozam o gozo de gozar
Sem que gozem o gozo, e o dividem
      Entre eles e o que os outros
      Vêem que gozam eles.
Ah, Lídia, as vestes do gozar omite,
Que o gozo é um, se é gozo, nem o damos
      Aos outros como prémio
      De nos verem gozando.
Cada um é ele só, e se com outros
Goza, dos outros goza, não com eles.
      Aprende o que te ensina
      Teu corpo, teu limite.
9 - 10 - 1927

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar