Quando te beijo nos olhos...

... não beijo as aves ocultas
que vão buscar as lágrimas
ao teu coração.

Nem os ninhos forrados de espelhos negros
para prolongarem a solidão.

Não beijo as ruínas da sede,
os tapetes do frio,
as janelas do sonho debruçado,
as moedas atiradas aos pobres,
o algodão em rama nas feridas.

Nem os teus subterrâneos de ternura
com luas escondidas

Beijo apenas a minha imagem
de narciso covarde
que desceu aos teus olhos
para poder amar-me.

 


In Idílio de Recomeço
José Gomes Ferreira
« Voltar