Mataram à machadada
A criança a brincar.
No meu coração não há nada.
Só a sensação magoada
De isso em mim se passar.

Deram à criança brinquedos
Para lhos tirar.
Em mim há fins e medos,
A criança é nos meus segredos
Da alma que morreu amar.

 

25 - 2 - 1920

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar