Reza, criança, reza
Por esta pátria moribunda,
Por esta pátria em estertor,
E que de tua voz presa
A minha alma em sofrer profundo
Encontre mais branda a sua dor.

 


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar