Grande é a noite que me cerca,
E negra a dúvida que sinto,
Mas, antes que a minha alma perca
A consciência em que me minto,

Quero que alguma coisa minha
Possa ter mais que nada ter.

21 - 9 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar