Encontrei muita vez, vagando ao acaso,
Um perfil de mulher no qual se adivinha
Como em exílio uma infeliz Rainha,
Um sol nascente e quase já no ocaso!...

Lembrou me um jaspe, um delicado vaso.
Onde vegeta a custo uma florinha.
Ansiosa por florir, mas que, mesquinha,
Tem o espaço estreito e o chão árido e raso.

Certa tarde, já quase ao fim do dia.
Baixava o sol na última agonia.
Via lenta vagando em certa praça.

Perguntei-lhe o seu nome, incivilmente...
Cravou-me um triste olhar, e tristemente.
Digna, mui digna, respondeu: Desgraça.

 

 


In A Ágia, n.º 37
Gomes Leal
ALMA ERRANTE
« Voltar