Não tenho sentido,
Alma ou direcçãol
Estou no meu olvido.
Dorme, coração!
26 - 10 - 1919

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar