Anjos ou deuses, sempre nós tivemos,
A visão perturbada de que acima
      De nós e compelindo-nos
      Agem outras presenças.

Como acima dos gados que há nos campos
O nosso esforço, que eles não compreendem,
      Os coage e obriga
      E eles não nos percebem,

Nossa vontade e o nosso pensamento
São as mãos pelas quais outros nos guiam
      Para onde eles querem
      E nós não desejamos.

 

16 - 10 - 1914

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
[ANJOS OU DEUSES SEMPRE NÓS TIVEMOS]
« Voltar