Um princípio leve de primavera fria,
Um sabor primaveril a longínquo verão
Nesta manhã, que o sol □, se enfia
      No meu coração.
 
Soluço improfícuo da saciedade da vida
Baldada imprecisão de sonhar e querer.
Passo por um desalento como na descida
      Que vai ter a viver.

 

22 - 2 - 1918

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar