Aquele nico exemplo
de fortaleza herica e de ousadia,
que mereceu, no templo
da eternidade, ter perptuo dia
o gro filho de Thtis, que dez anos
flagelo foi dos mseros Troianos;

no menos ensinado
foi nas ervas e mdica notcia
que destro e costumado
no soberbo exerccio da milcia:
assi que as mos que a tantos morte deram,
tambm a muitos vida dar puderam.

E no se desprezou
aquele fero e indmito mancebo,
das artes que ensinou
para o lnguido corpo o intonso Febo
que, se o temido Hector matar podia,
tambm chagas mortais curar sabia.

Tais artes aprendeu
do semviro mestre e douto velho,
onde tanto creceu
em virtude, cincias e conselho,
que Tlefo, por ele vulnerado,
s dele pde ser despois curado.

Pois a vs, excelente
e ilustrssimo Conde, do cu dado
para fazer presente
de heris altos o tempo j passado;
em que bem trasladada est a memria
de vossos ascendentes a honra e a glria:

Posto que o pensamento
ocupado tenhais na guerra infesta,
ou do sanguinolento
taprobnico Achem, que o mar molesta,
ou do Cambaico; oculto imigo nosso,
que qualquer deles treme ao nome vosso;

favorecei a antiga
cincia, que j Aquiles estimou;
olhai que vos obriga
verdes que em vosso tempo se mostrou
o fruto daquela Orta, onde florecem
prantas novas, que os doutos no conhecem.

Olhai que, em vossos anos,
uma Orta insigne produze vrias ervas
nos campos lusitanos,
as quais aquelas doutas e protervas
Medeia e Circe nunca conheceram,
posto que as leis da Magica excederam.

E vede carregado
d'anos, letras e longa experincia,
um velho que, ensinado
das gangticas Musas na cincia
podalria sutil e arte silvestre,
vence o velho Quiron, d'Aquiles mestre;

o qual est pedindo
vosso favor e ajuda ao gro volume
que, agora em luz saindo,
dar da Medicina um novo lume,
e descobrindo ir segredos certos
a todos os antigos encobertos.

Assi que no podeis
negar – como vos pede – benina aura:
que, se muito valeis
na polvorosa guerra ndica e maura,
ajudai quem ajuda contra a morte;
e sereis semelhante ao Grego forte.

 

Luís Vaz de Camões
[AQUELE ÚNICO EXEMPLO]
Voltar