Insaciedade infantil e dos homens.
(O teu rosto entre reposteiros
Espreitando para o quarto)

Árvores lá fora
Excessivamente árvores lá fora
E verde, verde, verde, a angústia por haver —

Longas, as horas
Remotamente...
Ninguém as sente
(Tu choras?)


c.11-6-1916

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar