Não tenho razão
      P’ra dizer que não
Nem tenho fim
      P’ra dizer que sim.

Eu acordo enganado
E não digo nada
      Ou se digo assim:
     
Talvez, ou por uma vez,
Ou então ao invés
      Ou então a fingir,
     
Eu quero crer...
      Mas não vou dizer
Se já vou saber... 
      Quero decidir...

1 - 12 - 1927

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar