Sob a leve tutela
      De deuses descuidosos,
Quero gastar as concedidas horas 
      Desta fadada vida.
     

      Nada podendo contra
      O ser que me fizeram,
Desejo ao menos que me haja o Fado
      Dado a paz por destino.
 

      Da verdade não quero
      Mais que a vida; que os deuses
Dão vida e não verdade, nem talvez
      Saibam qual a verdade.


In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar