Para quê complicar inutilmente,
Pensando, o que impensado existe? Nascem
      Ervas sem razão dada
Para elas olhos, não razões
Como através  de um rio as contemplamos.    
3 - 9 - 1932

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar