O teu ombro, quando passas,
Tem um desprezo atirado...
Na vida há muitas desgraças,
E uma é não estar enganado

1934-1935

In Poesia do Eu , Círculo de Leitores, edição de Richard Zenith, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar