Não há futuro


Não dissemos nada


Não te direi nada
Prometo
Aos deuses


Cada beijo me aproxima do abismo


O êxtase
Que o presente
Só ele
Nos concede
É um patamar vertiginoso


Os meus lábios
Colados aos teus


Esperam a palavra


As palavras
As mais sagradas

 

 


Boston, 19 de Setembro 90

In Átrio
Alberto de Lacerda
« Voltar