Em ũa lapa toda tenebrosa,
adonde bate o mar com fria brava,
sobre ũa mo o rosto, vi que estava
ũa Ninfa gentil, mas cuidadosa.

Igualmente que linda lastimosa,
aljfar dos seus olhos destilava;
o mar os seus furores aplacava
com ver cousa to triste e to fermosa.

Algũa vez na horrvel penedia
os belos olhos punha com brandura
bastante a desfazer sua dureza.

Com anglica voz, assi dizia:
«Ah! que falta mais vezes a Ventura
donde sobeja mais a Natureza!»

 

Luís Vaz de Camões
[EM ũA LAPA TODA TENEBROSA]
Voltar