O teu rosto reflecte
O brilho da esperança


Pensar em ti é captar
O devir
E o seu anverso
A eternidade


Londres, 23 de Agosto 98

In Horizonte
Alberto de Lacerda
« Voltar