MOTE ALHEIO

Vejo-a n'alma pintada,
quando ma pede o desejo,
a natural que no vejo.

GLOSA PRPRIA

Se s no ver puramente
me transformei no que vi,
de vista to excelente
mal poderei ser ausente
enquanto o no for de mi.
Porque a alma namorada
a traz to bem debuxada,
e a memria tanto voa
que, se a no vejo em pessoa,
vejo-a n' alma pintada.

O desejo, que se estende
ao que menos se concede,
sobre vs pede e pretende,
como o doente que pede
o que mais se lhe defende.
Eu, que em ausncia no vejo,
tenho piedade e pejo
de me ver to pobre estar,
que ento no tenho que dar
quando me pede o desejo.

Como aquele que cegou,
( cousa vista e notria
que a natureza ordenou
que se lhe dobre em memria
o que em vista lhe faltou)
assi a mim, que no rejo
os olhos ao que desejo,
na memria e na firmeza
me concede a natureza
a natural que no vejo.
 

Luís Vaz de Camões
[VEJO-A N'ALMA PINTADA]
Voltar