Fazer de uma palavra um barco
é todo o meu trabalho
ou da flor de linho  o espelho
onde a luz do rosto cai
excessiva.

 


In O peso da Sombra
Eugénio de Andrade
[FAZER DE UMA PALAVRA UM BARCO]
« Voltar