MOTE

No meu peito o meu desejo
da razo se fez tirano;
vejo nele certo dano,
incerto remdio vejo.

VOLTA

Pera de todo defender-me,
este mal por passar tinha:
ir eu contra a razo minha
que morre por defender-me.
Da parte de meu desejo
me passo pera meu dano;
vejo que nisto me engano,
mas nenhum remdio vejo.

 

Luís Vaz de Camões
[NO MEU PEITO O MEU DESEJO]
Voltar