Ausente dessa vista pura e bela,
que dantes viver ledo me fazia,
vivo agora to farto de agonia
quanto, vendo-vos, fui j falto dela.

Chamo dura e cruel a dura estrela
que me aparta de vs, minha alegria,
mil vezes maldizendo a hora e dia
que foi duro princpio a tal querela.

E tanta pena passo nesta ausncia,
a que o cruel destino me condena
(por que sofra ũa dor ao mundo rara),

que j vencer deixara a pacincia
com minha vida, fora desta pena,
se a vida para ver-vos no guardara.

Luís Vaz de Camões
[AUSENTE DESSA VISTA PURA E BELA]
Voltar