Num diminuendo que vem
Desde o princípio do mundo,
Meu coração não contém
Já mais que o seu próprio fundo.

Como quem vem dando esmola,
A quem vem sendo roubado,
Neste caminho, que é escola,
Do mundo que nos é dado,

Chego quasi nu de mim
À hora de ser quem sou.
Não sei se é isto o meu fim.
Aqui conheço: aqui estou.

17 - 12 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar