Ténue, como se de Eolo a esquecessem, 
A brisa da manhã titila o campo,
      E há começo do sol.
Não desejemos, Lídia, nesta hora
Mais sol do que ela, nem mais alta brisa
      Que a que é pequena e existe.
13 - 6 - 1930

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
[TÉNUE COMO SE DE EOLO A ESQUECESSEM ]
« Voltar