Maria, (tu és Maria?)
Gosto de ti realmente
Mas não como gostaria
Quem gosta só porque sente.
Meu gostar é diferente.

Se sendo a mesma que és,
Tu fosses outra, e eu,
Sendo o mesmo que aqui vês,
Fosse outro, nem teu nem meu,
Este amor que Deus nos deu

Talvez desse resultado,
E então, alegres a par,
Que par, que casal, que enfado
Devidamente ajustado
Nós seríamos a amar!

E é isso a felicidade.
Por enquanto, Deus não quer
Mais que eu e tu em verdade.
Queres ser minha mulher,
Eu sei lá que quero ser…

25 - 12 - 1930

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar