Ao   Teixeira de Pascoaes


Na ronda das quimeras é meu par
Alguém que se parece intensamente
Na maneira de olhar, ao teu olhar.

É no resto, porém, tão diferente
Como a luz das estrelas o é do luar,
Ou como o luar, do sol resplandecente.

A águia, contam, p'ra poder ganhar
A enorme altura a que só águias vão,
Procura  uma eminência cm que agitar

As asas que a sustentam na amplidão:
Sucede assim também ao pensamento,
Sucede assim também ao coração...

Se reparando em mim, te dá contento
Ver, nos teus olhos sempre, os meus pregados,
Não fica lá pregado o sentimento...

Esse anda por espaços constelados
Seguindo a vaga forma, o rosto brando
Da que há de redimir os meus cuidados.

Esse anda, lá por longe entre-sonhando
A alma a quem esfaima corresponde
E que hei-de achar na vida, não sei quando.

— Na vida, não sei quando, nem sei onde...

 

 

Augusto Gil
« Voltar