Escrevo na madrugada as últimas palavras deste
livro: e tenho o coração tranquilo, sei que a alegria
se reconstrói e continua.
       Acordam pouco a pouco os construtores terrenos,
gente que desperta no rumor das casas, forças sur¬-
gindo da terra inesgotável, crianças que passam
ao ar livre gargalhando. Como um rio lento e irrevogá-
¬vel,  a humanidade está na rua,
E a harmonia, que se desprende dos seus olhos
densos ao encontro da luz, parece de repente uma
ave de fogo

 


In Terra de Harmonia
Carlos de Oliveira
« Voltar